• Pedro Rocha Nascimento

Pantanal: o santuário da biodiversidade no Brasil

Um lugar que proporciona vistas e paisagens maravilhosas, fruto de uma enorme biodiversidade de fauna e flora, além de ser um bioma muito importante para a manutenção do ecossistema do nosso país. Por essas palavras, sabem de qual lugar nós estamos falando?


Sim, vocês acertaram, esse lugar é o Pantanal. É nós vamos trazer um pouco das características e história desse belo lugar.


 


 

1. Localização


O Pantanal é um bioma que está localizado na região Centro-Oeste, presente no Sul do Mato Grosso e no Noroeste do Mato Grosso do Sul, além se encontrar no Norte do Paraguai e no Leste da Bolívia.



Imagem 1: Mapa de localização do bioma Pantanal.


2. Vegetação e Flora

Esse bioma possui grande biodiversidade de flora, são mais de 2000 mil espécies de plantas, catalogadas pela Embrapa - Brasil, com presença de muitos arbustos, árvores e plantas aquáticas, além de ter uma floresta densa e fechada. As duas principais espécies são conhecidas como camalote-da-meia-noite e vitória-régia.


Nesse local, há uma flora com diversas espécies endêmicas, ou seja, que só existem naquelas condições ambientais.


A flora do Pantanal é conhecida por ter um alto valor econômico:


  • Plantas Apícolas e Plantas Nativas

  • Plantas Comestíveis e Plantas Medicinais


Imagem 2: as espécies de plantas aquáticas: vitória-régia


3. Fauna


O Pantanal é uma área que sofre influência direta de três biomas, são eles: o Cerrado, a Mata Atlântica e a Amazônia. Dessa maneira, o bioma apresenta uma rica biodiversidade de espécies, como por exemplo:


  • 35 espécies de anfíbios, como a rã-verde e espécies de sapos;

  • 463 espécies de aves: araras, carão, tucano, tuiuiú, papagaios e etc;

  • 132 espécies de mamíferos: anta, capivara, veado, onça-pintada, morcego;

  • 85 espécies de répteis: cobras, jacarés, tartarugas;

  • 263 espécies de peixes: pintado, pacu, piranha, traíra, dourado, bagre, piau, jaú etc;






















Imagem 3: a fauna presente no Pantanal



4. Clima e Relevo


O clima que predomina no Pantanal é o Clima Tropical, que é caracterizado pela presença de duas estações bem definidas durante o ano, sendo elas: verão e inverno.


No verão – de outubro a março, tem a presença de chuvas regulares com altas temperaturas, com médias em torno de 30°C.


Já no inverno – de abril a setembro, é caracterizado pela ausência de chuva e temperaturas em alta, com média de 25°C.


Em seu relevo, esse bioma está localizado em uma área de planície, com altitudes médias em torno de 120 metros. Tem um perfil de relevo regular, apresentando áreas e bacias propensas a sofrer inundações no verão. No local, há também a presença de diversos planaltos, que fazem a divisão de águas, além de terem nascentes que servem para abastecer a hidrografia do bioma.



Imagem 4: vista aérea do Pantanal


5. Solo e Hidrografia


Os solos dessa região são pouco desenvolvidos e tem um elevado índice de lixiviação, com baixo grau de fertilidade do solo, fruto das alagações constantes das áreas.


Os tipos de solos mais comuns são:


  • Planossolos;

  • Espodossolos;

  • Gleissolos.


A hidrografia do local tem a presença de várias bacias abastecida por muitos rios, a região é um área que sofre inundações em determinadas épocas do ano.


Além disso, o Pantanal compõe a macro bacia hidrográfica do Rio Prata e tem rios com grande importância para o país, são eles:


  • Rio Cuiabá;

  • Rio Paraguai;

  • Rio Piriqui;

  • Rio São Lourenço;

  • Rio Taquari.



Imagem 5: Rios que cortam o bioma Pantanal



6. Degradação


Nas últimas décadas, o Pantanal vem sendo vítima de constantes degradações ambientais. O avanço das fronteiras agrícolas e da pecuária regional, vêm trazendo grandes impactos ambientais para a biodiversidade local.


Diversos incêndios e queimadas foram registradas nessa região no ano de 2020, sendo um total de aproximadamente 14 mil focos de incêndios, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e em 2021 os níveis continuam a crescer.


Além disso, o desmatamento para a extração de madeira (de forma ilegal) está aumentando constantemente, aliados a caça e tráfico de animais para outras regiões.


Essas ações ocasionam uma destruição da fauna e flora, com extinção total de espécies endêmicas, geram o empobrecimento do solo, perda de propriedades e desertificação da área. Ocorre também uma diminuição de nascentes e a perda da hidrografia local, impactos diretos à atmosfera terrestre e aumento do efeito estufa.


7. Conscientização


É de fundamental importância que as instituições governamentais possam investir mais no combate a essas práticas de desmatamento e destruição do local, sendo necessário um maior investimento em ONGs e instituições ligadas ao Meio Ambiente, que possam contribuir para uma recuperação constante da área e a manutenção da biodiversidade local, para assim o Pantanal continuar a ser conhecido como o santuário de biodiversidade do Brasil.


 

Gostou do artigo? Acompanhe a gente se inscrevendo no nosso blog através do botão"Login/Registre-se".



Fontes:


Gestãoeducacional.com.br. Acesso em 18 de Outubro, 2021.

Brasilescola.com.br. Acesso em 18 de Outubro, 2021.

Mundoeducação.uol.com.br. Acesso em 18 de Outubro, 2021.

WWF.org.br. Acesso em 18 de Outubro, 2021.







14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo