• Lais Mello de Araújo

A Tecnologia no Setor Florestal

Atualizado: Jan 28


As tecnologias do setor florestal, seja de produção, manejo ou planejamento, estão cada vez mais presentes no cotidiano dos trabalhadores deste ramo, sendo notável a diferença entre os processos produtivos e operações atuais em comparação aos de décadas passadas. Neste artigo iremos falar sobre as diferentes tecnologias utilizadas neste setor.


Cada vez mais surgem novas tecnologias que beneficiam o setor florestal como sensores, drones, GPS, maquinário com sistemas integrados e sistemas de inteligência computacional de alta precisão. Estas inovações propiciam maior segurança nas operações, aumento de produção, redução de custos e elevação de lucros e eficiência, o que aumenta a competividade das empresas de base florestal. Ademais, o avanço tecnológico possibilita atender as demandas da população com capacidade de regenerar os recursos do planeta, sendo assim, o uso de novas tecnologia deve garantir o uso máximo da floresta de forma sustentável.


A automação é uma das tecnologias em crescimento no setor florestal que permite a maximização da eficiência da operação, já que onde há vários processos repetitivos pode-se os substituir por uma máquina autônoma, o que reduz tempo de operação e custos, além de permitir a identificação rápida de falhas. O interessante é que o maquinário utilizado tende a se tornar cada vez mais inteligente, capaz de se auto ajustar e de tomar decisões sozinho, com base na análise de dados.


Atualmente, destaca-se também a evolução e necessidade de conectividade no campo, pois isto permite um acompanhamento constante dos processos e operações que acontecem na floresta, sendo uma forma de enxergar com precisão a realidade do campo, mesmo a distância. Com a análise de dados, o monitoramento e a gestão remotos, o produtor consegue se antecipar a possíveis problemas e corrigir erros, auxiliando na tomada de decisão mais assertiva, correta operacionalização dos equipamentos e redução dos custos.


A utilização de drones também tem se tornado mais importante e presente e o aprendizado sobre o uso desta ferramenta está bem acelerado, o que é um ponto positivo, pois as florestas estarão cada vez mais em locais de difícil acesso, logo esta tecnologia será ainda mais necessária.


O sensoriamento remoto, o sistema de informação geográfica e o monitoramento do uso da terra, possibilitam o uso de sensores sem fio, localizados no solo, na planta, na atmosfera ou em máquinas e equipamentos, que, em conjunto com softwares de análise de dados, garantem um mapeamento mais preciso, já que estes coletam inúmeros tipos de dados, como informações de solos, clima, características das florestas cultivadas e nativas, entre outras.


A utilização destes recursos permite o plantio inteligente de sementes e a aplicação otimizada de insumos químicos ou biológicos para o manejo da floresta. Além disso, determinados dispositivos podem obter informações sobre a colheita e mapear a produtividade de cada parte do terreno, visando ao manejo e à melhoria do desempenho da produção.


As novas tecnologias vêm se consolidando como sistemas com balanço positivo de carbono, baseados na sustentabilidade, com uso mais eficiente dos recursos naturais e serviços ambientais. Neste sentido, em um futuro próximo, é esperada a diminuição na oferta de madeira, redução da qualidade e expansões das florestas, logo, a extração máxima viável do recurso e o investimento em tecnologias para mecanização e automação serão essenciais para o progresso do negócio florestal.


Gostou do artigo? Acompanhe a gente para mais artigos interessantes e informativos como este, se inscrevendo no nosso blog através do botão "Login/Registre-se".


137 visualizações0 comentário