• Maria Vitória Careli

Recaatingar: O Reflorestamento do Bioma Exclusivamente Brasileiro


"Caatinga" vem do Tupi-guarani e significa "Mata Branca". O termo descreve um pouco dos aspectos da vegetação na sua estação seca, onde perde suas folhas e suas árvores deixam à mostra os troncos esbranquiçados.



1 - Ocupação no território brasileiro


A Caatinga ocupa uma área de aproximadamente 845 mil km2, o que representa cerca de 10% do território nacional.


Ela abrange nove estados: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e o nordeste de Minas Gerais, no vale do Jequitinhonha.

Imagem 1 - Região Nordeste brasileira com destaque para o Bioma Caatinga em amarelo


2 - Clima da Caatinga


O clima é caracterizado por uma longa estação seca e com chuvas irregulares, fortes e com curto período de tempo. As chuvas são concentradas em um período de 3 a 6 meses.


São características extremas quando comparadas aos demais biomas brasileiros. Este possui a mais baixa precipitação anual (<1000mm), as mais altas temperatura média anual, radiação solar e mais baixa taxa de umidade relativa.



3 - Vegetação da Caatinga


A Caatinga é afetada por secas extremas e períodos longos de estiagem, por isto, a vegetação do local precisou se adaptar.

Assim, a flora é bastante diversificada, formada por árvores de pequeno porte e espaçadas entre si.


Dentre elas, há muitas espécies endêmicas (espécies que ocorrem apenas nessa região).


A vegetação apresenta 3 estratos:

  • Arbóreo: espécies que variam entre 8 e 12 metros de altura;

  • Arbustivo: espécies que variam entre 2 e 5 metros de altura;

  • Herbáceo: espécies com altura de 2 metros de altura.

Outras características da flora da região são a casca das árvores grossas e as folhas, por exemplo, são finas ou inexistentes.


Algumas plantas armazenam água, como os cactos, outras se caracterizam por terem raízes praticamente na superfície do solo para absorver o máximo da chuva.


Algumas das espécies mais comuns da região são a amburana, aroeira, umbu, baraúna, maniçoba, macambira, mandacaru e juazeiro.


Imagem 3 - Umbuzeiro (Spondias tuberosa)
Imagem 4 - Mandacaru (Cereus jamacaru)
Imagem 5 - Juazeiro (Ziziphus joazeiro)




Imagem 6 - Aroeira-vermelha (Schinus terebinthifolius Raddi)

4 - Animais da Caatinga


A fauna da Caatinga também é bastante diversificada, apresentando diversas espécies de répteis, anfíbios, aves e mamíferos.


Muitas espécies de animais encontradas na Caatinga são endêmcias, sendo 13 espécies de mamíferos, 23 de lagartos, 20 espécies de peixes e 15 espécies de aves. Dentre as espécies de animais que podem ser encontradas na Caatinga:


Imagem 7 - Tatu-bola (Tolypeutes tricinctus)
  • Tatu-bola: endêmico do Brasil e vive principalmente na Caatinga, podendo também ser encontrado no Cerrado. É uma espécie que está em perigo na Lista Nacional de Espécies Ameaçadas de Extinção, por causa da destruição e alteração de seu habitat natural.



Imagem 9 - Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari)
  • Arara-azul-de-lear: uma ave que vive somente na Caatinga baiana e está ameaçada de extinção, sendo sua principal ameaça a caça para o tráfico de animais e destruição do habitat em que vive.






Imagem 10 - Preguiça-de-chifres (Stenocercus sp. n.)
  • Preguiça-de-chifres: animal endêmico da Caatinga e vive em ambientes que apresentam galhos secos para se camuflar e se proteger de predadores.







5 - Degradação da Caatinga


A paisagem natural e única desse bioma tem perdido suas característica em decorrência de seu uso inadequado pelas atividades socioeconômicas.


As alterações se dão em decorrência da exploração de madeira para combustível até a substituição da vegetação nativa por práticas agrícolas inadequadas.


Com isso, toda essa devastação, aliada as característica do clima, fez a Caatinga entrar em processo de desertificação.


Imagem 11 - Ambiente em estado de desertifcação

A atividade industrial e a construção civil também são responsáveis por parte da degradação da Caatinga.


Alguns exemplos são a extração em áreas de empréstimo, para obtenção de areia, pedra, piçarra, etc., que acarretam em impactos significativos, que muitas vezes, só podem ser revertidos com a intervenção do homem através de plantios florestais.


6 - Recaatingar


Recaatingamento é a prática de reflorestamento da região da Caatinga.


Esta iniciativa implica no replantio de espécies nativas ou adaptadas na região.


Alguns exemplos do desenvolvimento dessa prática:


  • Sítio Axixá

O Sítio Axixá na Bahia passou por transformações nos últimos anos pelo desenvolvimento de práticas agrícolas convencionais. O solo estava ficando degradado e os animais nativos já não apareciam mais.

Imagem 12 - Entrada do Sítio Axixá

Quando então perceberam a necessidade de restaurar este ambiente. O plantio de árvores trouxe de volta os animais e beneficiou a cobertura do solo.


A propriedade tem 5 hectares e conta com o reflorestamento de 25 mil espécies. A meta do Sítio é chegar a 50 mil espécies nativas. Lá possui espécies de Copaíba, Jacarandá, Sibipiruna, Ipê-branco, Ipê-rosa e Guabiroba, dentre outras.


  • Embrapra Agrobiologia, Petrobras e UFERSA

Desde 2007, a Embrapa Agrobiologia atua na recuperação de áreas degradadas na Caatinga, relacionadas especialmente à extração de piçarra, petróleo e gás.


O trabalho é desenvolvido em conjunto com a Petrobras e a UFERSA (Universidade Federal Rural do Semiárido).


As pesquisas culminaram em uma metodologia que possibilita o crescimento rápido de espécies arbóreas e arbustivas em solos em que ocorreram atividades de produção de petróleo e gás natural.


Em 2010, a Embrapa juntamente com seus parceiros neste trabalho, lançou o Manual para recuperação de áreas degradadas por extração de piçarra na Caatinga.

Imagem 13 - Capa do Manual para recuperação de áreas degradadas por extração de piçarra na Caatinga.


























Gostou do tema? Compartilha com a família e amigos! Temos vários temas interessantes e de leitura rápida no nosso blog, confira!


Para não perder nenhum daqui pra frente, se inscreve no nosso blog através do botão "Login/Registre-se".



Fontes:

EMBRAPA; Acesso em 25 de abril, 2021;

R7; Acesso em 25 de abril de 2021;

BIOLOGIA NET; Acesso em 25 de abril de 2021;

WWF Brasil; Acesso em 25 de abril de 2021;

TODA MATÉRIA; Acesso em 25 de abril de 2021;

RÁDIO BRASIL DE FATO; Acesso em 25 de abril de 2021;


Imagem 1 - conhecimentocientifico.r7.com; Acesso em 25 de abril, 2021; Imagem 3 a 10 - todamateria.com.br; Acesso em 25 de abril, 2021; Imagem 11 - todoestudo.com.br; Acesso em 25 de abril de 2021; Imagem 12 - https://www.facebook.com/sitio.axixa/; Acesso em 25 de abril, 2021;


Posts recentes

Ver tudo
VOLTE SEMPRE!

A Flora Jr. é uma empresa júnior, sem fins lucrativos, visando sempre fomentar o empreendedorismo entre os alunos de Engenharia Florestal da UFRRJ, além do bem-estar dos nossos clientes através de projetos realizados com maestria e a um baixo custo. Você faz parte dessa história!

NOSSOS PRINCIPAIS SERVIÇOS:

- Inventário Florestal

- Consultoria Ambiental

- Restauração Florestal

- Análise de Água

- Educação Ambiental

- Horticultura

- CAR

ENCONTRE-NOS:

UFRRJ - Rodovia BR 465,

Km 07, s/n - Zona Rural,

Seropédica - RJ, 23890-000

 

(21) 97016-4624

 

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn ícone social

© 2019 Flora Jr. | Alguns direitos reservados.