• Júlia Ayres

Espécies exóticas e espécies invasoras são sinônimos?

Atualizado: 2 de dez. de 2021

Muito provavelmente você já deve ter escutado ou visto em noticiários os termos "espécies exóticas" e "espécies invasoras". Elas são sinônimas?


A resposta é não, elas possuem diversas diferenças entre si. Vocês sabem quais são?

As definições são:

  • Espécies exóticas: Considera-se como espécie exótica toda espécie que se encontra fora de sua área de distribuição natural, ou seja, são as espécies que originaram em um local diferente daquele onde está inserida.

  • Espécies invasoras: As espécies invasoras são aquelas espécies exóticas que se multiplicam sem controle e, assim, representam uma ameaça para as espécies nativas e para o equilíbrio do ecossistema.

Espécies exóticas não invasoras


Será que existem espécies exóticas que não são invasoras? A resposta é sim, elas existem!


Nem todas espécies exóticas são invasoras, isto é, algumas espécies exóticas não representam risco àquele ambiente onde se encontram presentes.


Existem espécies exóticas que são naturalizadas, por exemplo, em que sua população não afeta negativamente o ecossistema nativo. Outras são consideradas casuais, ou seja, estão presente naquele ambiente por um tempo, mas não conseguem formar uma população permanente.


Além disso, existem situações onde uma espécie exótica pode ser, inclusive, utilizada no controle de uma outra espécie exótica que seja invasora.


Espécies exóticas invasoras


E no que diz respeito às espécies exóticas invasoras, você sabe por que elas são problemáticas?

As espécies exóticas invasoras possuem uma vantagem competitiva em relação às espécies nativas. Isso porque elas estão inseridas em um ambiente completamente novo, livre de competidores, predadores e/ou parasitas.


O ambiente favorável atrelado à alta capacidade de se reproduzir daquela espécie, provoca um completo desequilíbrio e ocasiona diversos problemas, podendo afetar a biodiversidade local, a saúde humana e a economia.


Você sabia? Segundo o Ministério do Meio Ambiente (2006), as espécies exóticas invasoras são consideradas a segunda maior causa de extinção de espécies no planeta.


Manejo de espécies exóticas invasoras


Sabendo da importância do problema causado pelas espécies exóticas invasoras, diversos estudos vêm sendo realizados e medidas sendo implementadas, no âmbito da prevenção, controle, monitoramento, erradicação e mitigação de impactos.


É importante ressaltar que todas as medidas exigem muitos estudos, discussões e planos de ação, envolvendo diversos setores da sociedade.


Exemplos de espécies exóticas invasoras no Estado do Rio de Janeiro





Caramujo-gigante-africano, acatina (Achatina fulica)









Jaqueira (Artocarpus heterophyllus)










Sagui-do-nordeste, sagui-de-tufos-brancos, mico-estrela (Callithrix jacchus)








Leucena (Leucaena leucocephala)






Curiosidade


Existem espécies que são nativas e que, em determinadas situações, podem se comportar como invasoras. Ficou curioso para saber mais? Isso é assunto para outro post!


 

Gostou do artigo? Acompanhe a gente se inscrevendo no nosso blog através do botão"Login/Registre-se".





Fontes:


MMA - Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Espécies exóticas invasoras: situação brasileira. Brasília, 2006. Acesso em Abril de 2021.



Este texto foi escrito por Júlia Ayres de Oliveira, Assessora do Setor de Qualidade e Desenvolvimento da Flora Júnior.



22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo