• Flora Júnior

O que fazer após um Plantio Florestal?

Atualizado: há 5 dias

Após realizar um plantio florestal, seja para reflorestamento ou para produção, é necessário mantê-lo e monitorá-lo a fim de garantir seu sucesso. Neste artigo iremos abordar a importância dessa etapa e algumas dicas sobre o que deve ser feito.


O sucesso de um plantio depende de diversos fatores como a seleção das mudas, escolha das espécies, adubação, preparo do solo e espaçamento adequado, porém, além das etapas iniciais, é essencial a manutenção do plantio, para a garantia do crescimento esperado das plantas.


Durante a fase de estabelecimento das mudas é necessário que se reduza a competição com plantas indesejadas, já que isto é um fator limitante para o crescimento e sobrevivência das mudas. Contudo, não é só a competição que deve ser levada em conta, as plantas são seres vivos e necessitam de cuidados específicos para que cresçam bem e saudáveis, como adubação e controle de formigas cortadeiras. Sendo assim, os tratos culturais garantem que a muda não sofra nenhum dano e devem ser feitos por cerca de dois anos.


Além da manutenção, o monitoramento também deve ser realizado continuamente, este tem como objetivo observar o desenvolvimento e avaliar o sucesso da plantação e após esta avaliação, nova tomada de decisão pode ser necessária, pois ele indica se a técnica escolhida foi adequada e se está bem conduzida. No caso de restauração de áreas degradadas, deve ser feito com base na função do plantio em agilizar o processo de sucessão e garantir o crescimento das mudas.


Em um monitoramento devem ser utilizados parâmetros (estes indicam o que foi alcançado de acordo com as ações realizadas) que variam de acordo com o objetivo deste acompanhamento. Neste sentido, alguns exemplos seriam a cobertura das copas e o crescimento e desenvolvimento das mudas plantadas, onde é avaliado o percentual de cobertura do solo pela vegetação e o porte das mudas.


9 Tratos Culturais de Manutenção


Agora que você já conhece a importância da manutenção do plantio, saiba mais sobre 9 tratos culturais que reduzem a competição, danos as mudas e garantem o crescimento saudável.


1. Irrigação


As plantas necessitam de água para realizarem a fotossíntese, sendo assim é necessária a rega das plantas até seu estabelecimento ou pode-se, então, utilizar o hidrogel no momento do plantio, pois este fornece água aos poucos para as plantas, reduzindo a necessidade de irrigação.


2. Poda da árvore


A poda fortalece o crescimento da planta e mantém seu equilíbrio. Além disso a desrama permite a produção de madeira livre de nós, o que é interessante quando se quer produzir toras para serraria e laminação. Ela consiste na retirada de galhos mortos, o que evita a ocorrência de nó morto. Não somente isso, a partir dela, retiram-se alguns galhos verdes para se evitar o nó vivo.


3. Adubação de cobertura


As plantas necessitam de certos nutrientes para seu crescimento e a adubação garante o acesso das mudas a eles, fazendo com que a planta mantenha um desenvolvimento positivo. Esta técnica consiste na aplicação de adubo nas covas após a operação e a adubação de plantio. Geralmente é feita cerca de 120 dias após o plantio, quando as raízes das mudas já estão estabelecidas. É interessante que seja programada antecedendo ao período de chuvas, para melhor aproveitamento dos nutrientes do adubo pelas mudas.


4. Controle de pragas


Este controle deve ser feito para evitar danos que afetem o desenvolvimento da muda, pois as pragas podem atingir a planta e interferir em seu crescimento e progresso. As formigas cortadeiras, por exemplo, devem ser controladas durante todo o período de formação e maturação de um povoamento florestal.


5. Controle de plantas competidoras


Este controle deve ser feito para evitar a competição por recursos, como água e nutrientes. Existem diversas maneiras para realizar este controle como:


Capina manual: é feita a eliminação da vegetação competidora ao redor das mudas com uso de enxadas. Este método é utilizado em locais onde o aceso de máquinas é difícil, como em áreas onde a topografia é acidentada;


Capina mecanizada: são utilizados maquinários para a remoção da vegetação competidora e é realizada em locais com topografia plana ou suave ondulada;


Capina química: a eliminação da vegetação competidora é feita com herbicidas. Contudo, em alguns casos a aplicação de herbicidas é proibida, como em matas ciliares em reservatórios destinados a abastecimento doméstico de cidade;


Roçada: é o rebaixamento da vegetação não arbórea competidora (principalmente por luz) existente na área para uma altura de aproximadamente 10 centímetros. Pode ser feita através de foices, roçadeiras ou com aplicação de herbicidas;


Coroamento: é uma capina que elimina toda vegetação competidora existente ao redor das mudas em uma área circular, chamada de coroa, com cerca de 50-60 cm de raio. Pode ser manual ou química, porém ao se utilizar o herbicida as mudas devem ter mais que 50 cm de altura para que suas folhas não sejam atingidas;


Desbastes: são eliminações parciais de árvores feitas em plantios florestais, com objetivo de estimular o crescimento das árvores remanescentes e aumentar a produção de material utilizável.


6. Cercamento


Ao cercar a área do plantio a entrada de indivíduos, como grandes animais que podem pisotear e danificar as plantas, é impedida ou dificultada.


7. Aceiro


Os aceiros são faixas ao longo das cercas sem vegetação e é utilizado em grandes implantações, pois delimita a área plantada e dificulta a ocorrência de incêndios.


8. Replantio


É feito quando há morte, doença ou praga, onde a muda afetada é retirada e uma nova é plantada. É feito para a manutenção da abundância e a riqueza das espécies plantadas.


9. Colocação de cobertura morta


Esta técnica consiste na colocação de resíduos das roçadas e coroamento ao redor das mudas, como o capim seco. Isto é feito, pois esta cobertura morta protege a muda do aparecimento de vegetação competidora e também mantém a umidade ao redor das mudas, sendo assim, reduz a necessidade de irrigação complementar e coroamento.


Quando as etapas iniciais do plantio são bem feitas os tratos culturais de manutenção são reduzidos, o que diminui custos e tempo de acompanhamento. Neste sentido, a plantação de mudas requer planejamento desde a seleção das espécies utilizadas, até sua manutenção por cerca de 2 anos após a plantio para garantir o êxito do mesmo.



A Flora Jr. planeja cada etapa de um plantio, garantindo seu sucesso e evitando custos desnecessários. Se você está interessado em realizar um reflorestamento ou começar a produção de um produto florestal, entre em contato conosco! Estamos dispostos a lhe oferecer um plano bem estruturado e de acordo com suas necessidades e desejos.


Gostou do artigo? Então compartilhe com seus amigos e nas redes sociais e fique atento que logo postaremos sobre outros temas interessantes como esse!


20 visualizações
VOLTE SEMPRE!

A Flora Jr. é uma empresa júnior, sem fins lucrativos, visando sempre fomentar o empreendedorismo entre os alunos de Engenharia Florestal da UFRRJ, além do bem-estar dos nossos clientes através de projetos realizados com maestria e a um baixo custo. Você faz parte dessa história!

NOSSOS PRINCIPAIS SERVIÇOS:

- Inventário Florestal

- Consultoria Ambiental

- Restauração Florestal

- Análise de Água

- Educação Ambiental

- Horticultura

- CAR

ENCONTRE-NOS:

UFRRJ - Rodovia BR 465,

Km 07, s/n - Zona Rural,

Seropédica - RJ, 23890-000

 

(21) 97218-9442

 

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • LinkedIn ícone social

© 2019 Flora Jr. | Alguns direitos reservados.